sábado, 28 de abril de 2012

SUSTENTABILIDADE E ESTILO MARCAM A DECORAÇÃO COM BAMBU


A preocupação com a sustentabilidade e o meio ambiente motiva a busca por alternativas ao uso de recursos naturais, principalmente quando o assunto é decoração. Pensando nesse nicho de mercado, diversos profissionais estão optando pelo bambu para decorar os ambientes. Além de trazer um toque rústico, seu uso ainda proporciona a satisfação de estar contribuindo para evitar o corte de árvores e extração da madeira.
Ao contrário do que se pensa o bambu não é do tipo arbóreo e sim da família das gramíneas, tal qual a cana-de-açúcar. Danilo Cândia, engenheiro agrônomo e sócio-diretor da Carbono Zero, comenta que o bambu, mesmo não sendo madeira, chega a ultrapassar as madeiras de lei em durabilidade, densidade e resistência. Paulo Bustamante, designer e diretor da empresa A Bambuzeria, afirma que o sistema de crescimento desse tipo de planta é telescópico, ou seja, cresce apenas verticalmente e assim que o touceiro começa a dar brotos, eles já determinam a grossura que a planta vai ter.

Considerada a planta do futuro, o bambu gigante, após formar seu touceiro,permite colher até 800 metros de vara por ano devido ao seu crescimento acelerado em relação a uma árvore qualquer. Variando por espécie, clima e terreno, o tempo de maturação de uma vara de bambu é de aproximadamente três anos, sendo que a primeira colheita entre seis e dez anos. Paulo lembra que quanto maior for o calor, mais rápido o bambu matura suas fibras. Saiba mais sobre onde o bambu pode ser usado e como fazer a manutenção dele.

TONS QUENTES E CONTRASTES SÃO TENDÊNCIAS DE CORES PARA DECORAÇÃO EM 2012




Cores quentes e contrastes: são essas as duas grandes apostas do mercado de tintas para o ano de 2012. De acordo com pesquisas divulgadas pelas empresas Coral e Suvinil, o amarelo, o laranja e o vermelho serão algumas das grandes vedetes de decoradores e aficionados por ambientes coloridos em geral.
Combinações dessas cores com tonalidades mais frias (derivadas do cinza e do azul) também devem ser tendência, principalmente entre pessoas que, segundo as empresas, possuem “espírito criativo”.   
Após consultar arquitetos, decoradores e designers do mundo inteiro, a AkzoNobel (empresa holandesa que detém o controle da Coral) elegeu um vermelho de tonalidade ruborizada, batizado de “Chá Dançante”, como a sua cor do ano.
“Esta é uma cor que abre inúmeras possibilidades para o morador”, avalia Paola Vieira, gerente global de "color marketing" do Grupo AkzoNobel. “Trata-se de um tom extravagante e suave ao mesmo tempo, que fica bom tanto em um detalhe da casa como em uma parede inteira”.  



CASA COM TELHADO VERDE, E MUITA MUITA GRAMA

Olá leitores!!!!!!! Desculpe a ausência!
Estou no fim do semestre e o tempo está apertado para lazer... rsrs... Como o tema da minha monografia envolve sustentabilidade, separei uma matéria bem bacana e ecológica que encontrei no site: casa.com.br

É uma idéia bem bacana...


Um dos papas da arquitetura engajada, o inglês Guz Wilkinson, radicado em Cingapura, não economizou grama para criar este refúgio. Batizada de Meera House, na ilha de Sentosa, no sul do país, a casa materializou a busca de uma família hindu por privacidade e verde de sobra. Como a área do lote era reduzida (800 m²), Guz estendeu vistosos gramados sobre a cobertura dos dois pavimentos. “Assim, até nos andares superiores temos a sensação de estarmos no térreo, conectados com o jardim”, assinala o arquiteto. Além de suavizar o desenho, a solução ajudou a reduzir a temperatura interna da moradia em 5 ºC e, com amplas aberturas (na frente e nos fundos) que canalizam a brisa marinha, a promover conforto térmico sem o auxílio de refrigeração artificial. Para conservar o local naturalmente climatizado, o segredo é manter a vegetação umidificada por meio de um sistema de irrigação eletrônico com timer, acionado duas vezes ao dia. Quando a água sobre as plantas evapora, o teto transpira, se resfria e transfere frescor para todos os ambientes internos.

Revestida de pedras, a piscina fica visível através dos generosos painéis de vidro que delimitam a sala de TV, no subsolo da residência. Outro recurso original do projeto para refrescar a casa.
Feito na obra
Este telhado verde é do tipo mais simples possível. Como a cobertura teria grama e pouca vegetação de médio porte, o arquiteto previu a carga no projeto estrutural e distribuiu na área pontos de drenagem e irrigação. Então, as lajes foram impermeabilizadas e cobertascom mantas onduladas (para impedir que a terra escorra), brita e 30 cm de terra com compostos orgânicos. No brasil, algumas empresas fornecem sistemas prontos: Ecotelhado, Envec, instituto Cidade Jardim e remaster.